Divisoria como fazer

casa_banheiro_56 width=180

A INSTALAÇÃO DE UMA DIVISÃO FIXA

Os materiais necessário para fazer uma divisoria.
Procure se equipar com:
1) Uma folha de compensado (veja o capítulo sobre A Compra da Madeira).
2) De ripas de 20 x 30.
3) De sarrafos aparelhados de 20 x 5 mm.

As dimensões da divisoria.
As medidas dependem, evidentemente, da sala em que a divisão vai ser Instalada. Supondo-se que você deseja uma largura de 1,20 m e que o teto da sala fique a 2,70 m do solo, deduza 30 cm aproximadamente para os pês, a partir do assoalho, e 70 cm aproximadamente para os montantes que chegam ao teto. Você precisará comprar, então, uma divisão de 1.70 m x 1,20 m. (É bom lembrar que as grandes casas do ramo vendem compensados nas dimensões que se deseja)

Quanto aos sarrafos de apoio, poderá ter 20 de espessura, embora o compensado não seja de mais de 18 mm, Um leve aplainamento seguido de polimento propor¬cionarão uma junção perfeita. Assim: 2 m x 1,20 m (para colar sobre o compensado) + 2 x 30 cm + 2 x 70 cm (Para os pés) o que dá 2,40 + 0,60 + 1,40, ou seja, 4,40 m.

Atenção!
Quando você fizer a encomenda informe-se sobre os comprimentos disponíveis. Com um pouco de sorte você conseguirá com facilidade uma peça de 4,50 rn ou 5 m; é uma dimensão comum.

Finalmente, não se esqueça de encomendar uma ripa de 20 x 30 (destinada a ocultar o bordo vertical do compensado). Você precisará de 1,70 m x 2 = 3,40 m (dimensão corrente: 4,55 m). No entanto, tranqüilize-se, tudo dependerá dos fabricantes.

A confecção dos pós
Proponho, para que você fixe os pés nos sarrafos de apoio inferior e superior, a utilização de um encaixe tipo macho-fêmea, sólido e invisível.

Um rápido exame do desenho abaixo o fará compreender do que se trata.

O ressalto (macho)

Cada um dos pés deve, portanto, ser afilado na extremidade para apresentar uma parte macho.

As dimensões desse macho ficarão à sua escolha. Contudo, é bom saber que, para se ter um mínimo de resistência, jamais se deve fazer um macho de espessura Inferior a 1/3 da peça de que faz parte.

No caso de que tratamos, devemos manter pelo menos 8 mm de espessura no macho, o que dá 5 mm de matéria a ser desgastada, abaixo e acima do macho.

O desenho do macho
Pode-se ver o esquadro no lugar adequado para o traçado do comprimento, determinando assim a profundidade de penetração na reentrância. Para um máximo de solidez, devemos dar 30 cm de comprimento aos nossos machos.

A reentrãncia correspondente atravessará os serra. fos do quadro de lado a lado. Considerando-se que esses sarrafos são colados sobre o compensado, a reetrâncla ficará, de qualquer modo, invisível.

O graminho.
O graminho, é bom lembrar, é composto de uma pequena régua de perfil poligonal que desliza em um suporte que se pode pôr sob a régua não importa em que posição, por melo de um parafuso borboleta.

A extremidade da régua tem uma ponta acerada que permite riscar sobre a madeira.

1) Graduar: deseja-se traçar linhas a 5 mm da borda do sarrafo. Por melo da régua graduada, o parafuso do suporte solto, colocamos a ponta acerada do gra¬minha a 5 mm do suporte. Apertamos o parafuso de graduação.

2) Riscar: Apoiando o graminho sobre o sarrafo e o mantendo firme, fazemos deslizar o graminho ao longo do sarrafo, e assim desenhamos, automaticamente, com a ponta acerada, uma paralela â borda do sarrafo, a 5 mm dessa borda.

O corte
Quatro traços de serragem o desenho do ressalto.  

Para o sentido longitudinal, examine, antes de serrar, o desenho acima. Só a terceira maneira de dar o traço de serra no exterior das linhas do ressalto, conserva uma espessura correta de 8 mm.

Falta de reentrância.
você pode ver o sarrafo sobre cujo lado foi traçado o desenho da reentrância onde penetrará o ressalto de 20 x 8 mm. Equipe-se com uma verruma de 8 mm e mantenha o sarrafo bem firme, preso a uma morsa, ou mantido na banca por meio de uma prensa de marceneiro. Faça uma série de furos de bordos en costados uns aos outros em toda a largura da reentrância desejada. Passe de um lado a outro com a verruma.

Verifique a perpendicularidade da verruma em relação ao trabalho graças a um pequeno esquadro.

O acabamento da reentrância.
Retire com um formão a madeira que resta na reentrância, com o chanfro da lâmina voltado para o interior do entalhe. Não procure obter extremidades planos no local dos dois últimos furos, pois seria desnecessário.

A montagem da divisão.
1) Colagem e fixação com pregos (com pontas de 50 mm e antes da secagem da cola) dos sarrafos em que foram feitos os entalhes. Não se esqueça: eles devem ultrapassar 5 mm de cada lado da divisão de compensado.

2) Colagem e fixação com pregos (com pregos sem cabeça, de 30 mm), do sarrafo.

3) Antes de montar os pés na parede divisória, prepare, na outra de suas extremidades, dois outros machos que serão encaixados em entalhes feitos no assoalho.

Um piso de cimento ou de cerâmica exigirá o chumbamento de um bloco de madeira previamente munido de uma reentrância.

Cave o lugar para esse bloco por meio de um buril de pedra e o coloque com cimento ou argamassa.

4) Monte, por colagem, os pés na parede divisória, fazendo o mesmo com os montantes superiores.

5) Durante a secagem da cola, faça dois furos na parede, à altura da parte inferior e superior da divisão.

6) Peça, em seguida, a alguém que o ajude a manter a divisão no lugar certo enquanto você coloca os chumbadores por meio de um buril, nos buracos abertos na parede.

Finalmente pregue os chumbadores na divisória, com pregos ou parafusos, à sua escolha.

Tags: , , ,

Categoria: Gavetas e Divisorias

Deixe seu comentario